Loading...

Os golpes mais famosos aplicados em turistas na estrada

Quem nunca ouviu a história daquele amigo que caiu no golpe durante uma viagem? Ser turista tem seus pontos positivos, mas também requer atenção e cuidado.  

Diversos fatores fazem dos turistas alvo fácil para golpes. Um deles é que normalmente os viajantes estão em um local que não conhecem, onde o idioma não é o mesmo que o seu e com os bolsos com documentos ou altas quantias de dinheiro. Por isso, os golpistas se aproveitam da situação para furtar ou enganar turistas.  

Um dos destinos onde mais acontecem esses golpes é na Europa, em países como França, Itália e Espanha, devido ao grande fluxo de pessoas e idiomas diferentes em um mesmo ponto turístico.  

Para te ajudar a evitar cair em armadilhas durante viagens, listamos abaixo alguns dos golpes mais comuns aplicados em turistas na estrada.  

Nada pior do que ser roubado longe de casa 

O fotógrafo 

Ao se oferecer para tirar sua foto durante a viagem a pessoa pode fugir com seu celular ou câmera, ou pedir dinheiro pela ação. O ideal é evitar aceitar ajuda.  

Câmbio 

Na hora de trocar seu dinheiro preste atenção no calculo realizado. Câmbios muito complexos podem te fazer sair no prejuízo. Uma forma de evitar isso é não trocar dinheiro com cambistas nas ruas, mas em casas de câmbio autorizadas e legalizadas. 

Informação ou indicação  

Quando você parece estar perdido na rua e alguém se oferecer para te mostrar o caminho certo, tenha cuidado. Normalmente essas pessoas cobram pelo “serviço de guia”, quando você achava que ela estava apenas tentando te ajudar.  

Amanda Trintim, que escreve no As viagens de Trintim, caiu nesse golpe enquanto andava pela cidade murada de Jerusalém, em Israel. Na ocasião Amanda explica que estava procurando pelo Muro das Lamentações, quando um rapaz se ofereceu para ajudá-la. “Eu neguei várias vezes, mas ele insistiu em me mostrar o caminho. Ao chegarmos na entrada ele me cobrou 15 shekel, algo como R$15. Por estar sozinha, achei melhor pagar do que sofrer alguma coisa”, conta.  

Cuidado ao trocar seu dinheiro na estrada, evite lugares suspeitos.

Sumiço de bagagem no porta-malas 

Você faz uma corrida de táxi e sua bagagem é colocada no porta-malas. No meio do caminho, tudo é roubado e você nem vê. O taxista diz que está com pena e nem cobra a corrida, mas provavelmente ele faz parte do esquema. Para evitar esse golpe, procure deixar suas malas e pertences junto com você, se for possível.  

Esbarrões em lugares lotados 

Batedores de carteira estão por toda parte, principalmente em lugares lotados. Para evitar esse tipo de golpe, tente andar com doleiras, uma espécie de pochete que se coloca por de baixo da roupa. Nela, guarde a maior parte dos itens de valor, como parte do dinheiro, passaporte e cartões.  

Hotel fechado 

Alguns taxistas podem te avisar no momento do embarque que seu hotel está fechado e já não existe. Nesse caso, ele irá te convencer a se hospedar em outro lugar, onde recebe comissão. Por isso, sempre entre em contato com seu hotel para garantir que tudo está normal. 

Passeios que não existem 

Você contrata um passeio, paga por ele e só na hora de sair descobre que o passeio não existe. Ou pior: vai para o passeio, mas tudo acontece diferente do que foi oferecido anteriormente. Isso pode acontecer porque a agência era fantasma, porque a rota daquele passeio não é mais realizada ou por vários outros motivos. No fim das contas, quem sai no prejuízo é o viajante que contratou um passeio que não pôde realizar.  

Esse caso aconteceu com a Julia Ortolan na Costa Rica. Ela e a família foram de férias para o país e, por recomendação, contrataram um passeio com guia local para ver as tartarugas colocando ovos na areia da praia à noite, só que nem tudo aconteceu como o esperado. “Tem toda uma proteção das tartarugas lá e esse passeio é vigiado pelos biólogos.

Além disso, o guia não era credenciado, por isso, fomos expulsos da praia e não vimos nada. Mas, ainda tivemos que pagar pelo passeio”, relembra. 

Na dúvida pesquisa na net, pergunte em fóruns…

Sequestro de turistas 

Em alguns países o sequestro de turistas é mais frequente do que se possa imaginar. Muitas das vezes, isso acontece devido a fatores políticos e econômicos. Os sequestros são utilizados como tática de terror e os resgates fornecem uma fonte de financiamento para a produção de drogas, compra armamento e financiamento de quadrilhas. 

Isadora Boaventura passou por uma tentativa de sequestro enquanto visitava Havana, em Cuba. “Eu e minhas amigas fechamos o preço de uma corrida de táxi com um senhor. Só que quando entramos no carro o motorista era outro e no banco traseiro também entrou um homem. Nem esperamos a corrida começar, abrimos as portas e saímos correndo”, diz Isadora sobre a tentativa de sequestro. 

Com os devidos cuidados, o turista consegue aproveitar melhor suas férias em outro país sem cair nos golpes. Basta ficar atento, além de sempre verificar os pertences de valor e evitar situações que possam causar golpes na estrada.  

Nossos Parceiros

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Você deve amar viajar tanto quanto nós!
Somente entre com seu e-mail abaixo e prometemos enviar as melhores dicas de viagem!
Sim, eu quero receber novidades
Não, obrigado!
close-link
2018-04-09T13:40:26+00:00
Você deve amar viajar tanto quanto nós!
Somente entre com seu e-mail abaixo e prometemos enviar as melhores dicas de viagem!
Sim, eu quero receber novidades
Não, obrigado!
close-link
shares